A Copa América-2024 começa nesta segunda-feira (24) para a Seleção Brasileira. Logo mais às 22h (de Brasília), os comandados de Dorival Júnior enfrentam a Costa Rica, pela rodada de abertura do Grupo D, no SoFi Stadium, em Los Angeles. E assim que a bola rolar, os olhares do planeta estarão voltados para Vini Jr.

Após uma temporada impecável com 24 gols e nove assistências em 39 partidas pelo Real Madrid, o “Malvadeza” é o grande favorito ao prêmio da Bola de Ouro, concedido pela revista francesa ‘France Football’ ao melhor jogador do mundo.

Foram nada menos do que três troféus pelos merengues, com destaque do brasileiro em todas as competições. A saber, Champions, Campeonato Espanhol  e Supercopa da Espanha.

Dorival Júnior quer fazer craque brilhar na Copa América – Fotos: Rafael Ribeiro/CBF e Vitor Silva/CBF

Contudo, Vini Jr precisará provar, agora pela Seleção Canarinho, que merece faturar o prêmio “referendado” pela imprensa internacional. Isso porque o Ballon d’Or é concedido após votos de jornalistas de 50 países.

Vini Jr tem exemplos a seguir

Ronaldo ‘Fenômeno’, que conquistou o troféu da Conmebol e a Bola de Ouro em 1997, e Rivaldo, campeão da Copa América e vencedor do prêmio da France Football em 1999, são os exemplos aos quais Vini Jr pode se inspirar.

Estejam certos de que durante o período preparatório para o torneio das Américas, Vini Jr foi cuidadosamente lapidado para brilhar pelos estádios dos Estados Unidos. Dorival sinalizou nos treinos que o jogador será o grande triunfo do ataque, flutuando com frequência entre as posições mais avançadas para desmontar os setores defensivos rivais.

Sem posição fixa, ele pode atuar mais pela faixa central, alternando para os flancos e, assim, criando brechas para que os companheiros possam aparecer mais dentro da área e finalizar.

Como funciona a ‘rotação’ brasileira

Um exemplo foi o gol do triunfo diante do México no penúltimo amistoso antes da Copa América. Na ocasião, Vini Jr se deslocou para esquerda e fez cruzamento na medida para Endrick, de cabeça, assegurar a vitória brasileira.

Rodrygo, inclusive, detalhou em coletiva no último sábado, a “rotação” do ataque do Brasil, ressaltando que a movimentação com Vini Jr tem inspiração no modo de jogar da dupla no Real Madrid.

“Não posso contar muito nossos segredos, mas uma coisa legal nos treinos é que estamos fazendo bastante a troca entre eu e o Vini entre o centro e a esquerda. Antes, dificilmente tínhamos essa troca de eu jogar mais pela esquerda”, afirmou o camisa 10 da Amarelinha.

“Até nos jogos eliminatórios (da Champions pelo Real Madrid) contra o Manchester City, joguei mais pela esquerda, enquanto o Vini atuou mais por dentro. E deu muito certo. Fizemos isso também no amistoso contra os Estados Unidos. Quando saiu a escalação, todos acharam que eu era o ‘9’ e ele, o ponta. Mas foi ao contrário. São essas variações que poderemos trazer para cá. Mas o resto do que vamos fazer é segredo…”, disse, em tom descontraído.

O trio de ataque para a estreia frente a Costa Rica contará, ainda, com Raphinha, do Barcelona. Já Endrick inicia como opção na reserva e deve ser aproveitado no decorrer do segundo tempo.

Até a próxima, joganautas!

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Comentários