O Vasco anunciou na tarde desta segunda-feira. Marcelo Cabo não é mais o treinador da equipe após o empate com o Náutico em 1 a 1, dentro de casa, e a oitava colocação da Série B após 12 rodadas. Um time que, nas mesmas 12 partidas, não convenceu o torcedor vascaíno em momento algum. Mas, para este que vos escreve, o discurso foi um grande peso na decisão vascaína.

Quando as coisas vão mal, não adianta querer maquiar. Isso não é só falando sobre futebol. É a vida. O ser humano é alimentado pela sensação de transparência e senso de realidade. Marcelo Cabo, após toda e qualquer partida do Vasco, parecia estar vendo outro futebol. O cabo arrebentou. E não foi por acaso.

Para remendar o Gigante da Colina, a diretoria aposta em um pingo de loucura. Lisca, que de louco só o folclore, fez belíssima campanha com o América-MG em 2020, somando 73 pontos e perdendo o título no saldo de gols para a Chapecoense. Um treinador conhecido por mexer com os ânimos e gerar resultados. Faltam 2/3 de Série B. Se tinha um momento para trocar, era agora. Ainda não é certo, mas é o alvo. E, para ser sincero, dentro das possibilidades, essa “doideira” é realmente a melhor opção.

Comentários