O Flamengo deu o troco do turno, quando perdeu por 4 a 0, e venceu o Inter no Beira Rio: 2 a 1. Mas o jogo só valia de fato para o clube gaúcho. O que deixa o rubro-negro muito irritado é saber que se o Flamengo tivesse um técnico de verdade teria levado o Brasileiro a sério e estaria efetivamente na briga pelo título.

Mas Renato Gaúcho e a maldição da Libertadores não permitiram. É improvável que o clube da Gávea volte a ter a oportunidade de conquistar um tri em sequência, dada a dificuldade que essa competição impõe, do começo ao fim. Flamengo e Palmeiras têm possibilidades idênticas de ganhar em Montevidéu, dia 27, mas se o time carioca perder seu treinador conseguirá a façanha de jogar três títulos no lixo na mesma temporada.

A exemplo do que havia ocorrido contra o São Paulo, semana passada, o Flamengo fez 2 a 0 em 10 minutos, com Gabriel e Andreas Pereira, e desperdiçou um punhado de chances. Houve até o pênalti de Moisés em Éverton Ribeiro que a arbitragem e o Var ignoraram. Até pela necessidade, e pelo fato de jogar em casa, o Inter vez por outra incomodava, mas os contra-ataques rubro-negros eram de velocidade impressionante.

No entanto, como quem não faz leva, o time do Rio sofreu do seu próprio veneno aos 40, quando o adversário, a mil por hora, diminuiu com Taison. Na realidade, se o primeiro tempo terminasse com um placar, digamos, de 6 a 3, seria normal.

O Inter voltou para a etapa final em busca do empate, e só depois de 15 minutos é que o Flamengo conseguiu jogar, e é fato que qualquer das equipes poderia marcar, tal a facilidade que chegavam ao ataque. Com meia hora, os times começaram a efetuar substituições, mas o resultado permaneceu aberto. O time gaúcho parecia mais inteiro. O Flamengo fez o terceiro, mas o gol de Kenedy não valeu. E o Inter não conseguiu empatar. Ficou assim.

*As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do site Jogada10.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Comentários