O goleiro Keylor Navas, que acabou de deixar o PSG, veio a público para se defender das acusações de um ex-funcionário por trabalho ilegal. Na noite da última sexta-feira (7), o costa-riquenho rebateu denúncias feitas pelo canal francês “BFM TV”. A alegação do jornal é de que o jogador teria se aproximado da “escravidão moderna” no tratamento a um ajudante de manutenção na época em 2019.

Keylor Navas em ação pelo PSG. Goleiro deixou o clube francês e está livre – Foto: MIGUEL MEDINA/AFP via Getty Images

“Na sequência de uma notícia publicada por um meio de comunicação social francês nos últimos dias, na qual se proferem declarações falsas, infundadas e muito graves que me afetam a mim e à minha família, decidi por o assunto nas mãos dos meus advogados com o intuito de iniciar todas as ações legais”, escreveu o arqueiro em sua conta no Instagram.

Confira o post

 

LEIA MAIS: Ídolo do clube, Jamie Vardy renova contrato com Leicester

O jogador de 37 anos foi alvo de uma queixa no Ministério Público de Versalhes. Ele supostamente teria obrigado um empregado a trabalhar sem inscrição na Segurança Social e sem folha de pagamento. Além disso, ainda segundo o “BFM TV”, o trabalhador precisava andar armado e estava alojado num sótão úmido, sem janelas ou ventilação.

“Estamos na fronteira do direito penal com fatos que, pela minha parte, podem ser considerados próximos da escravatura moderna”, disse  o advogado da vítima, Me Yassine Yakouti.

Com contrato acabando com o PSG, Navas está livre no mercado. Ele já se despediu do clube francês, mas ainda não anunciou seu próximo passo no futebol.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Comentários