Em jogo que concluiu a segunda rodada no Grupo F da Copa do Mundo Feminina, a Jamaica fez uma apresentação modesta contra o Panamá. Mas conseguiu uma importante vitória por 1 a 0. O jogo deste sábado foi no Retangular de Perth, na Austrália.

O gol da vitória, saiu na etapa complementar e colocou as jamaicanas na segunda posição da chave. Afinal, chegou aos quatro pontos, onde a França lidera pelo saldo. Além disso, o Brasil foi ‘jogado’ para a terceira posição, com três pontos. Já as panamenhas estão matematicamente eliminadas com zero. Na rodada final, na quarta-feira, 2/8, a França enfrenta Panamá e Jamaica e Brasil farão jogo decisivo. Um empate ckassifica as jamaicanas. O Brasil só vai às oitavas se vencer.

Veja aqui a tabela de classificação da Copa Feminina

Jody Brown e Deysire Salazar em Panamá x Jamaica – Foto: Paul Kane/Getty Images

Jamaica dominante

Como esperado antes mesmo do apito inicial, a partida foi  um “ataque contra defesa” na qual as jamaicanas – mesmo sem a artilheira Shaw, do Manchester City, suspensa – buscavam os espaços em meio a uma retranca das panamenhas. Entretanto, apesar dos esforços, faltava maior precisão na hora das Reggae Girls concluírem suas jogadas, algo que conduziu o confronto a não ter uma real oportunidade de gol da Jamaica na etapa inicial.

Por sua vez, as “Canaleras” tinham como essência de sua estratégia ofensiva saírem em velocidade onde Marta Cox era a principal peça criativa. Nesse sentido, foram raras as chances do Panamá bater em gol onde, não à toa, a goleira Rebecca Spencer teve trabalho exigido somente em uma oportunidade.

A tônica da partida não sofreu maiores alterações para o tempo complementar, mas com o elemento diferencial de, na bola aérea, a Jamaica chegar a inauguração do marcador. Em cobrança de escanteio no lado esquerdo por parte de Trudi Carter, aos 11 minutos, a zagueira Allyson Swaby ganhou na disputa pelo alto e testou para superar a goleira Yenith Bailey.

Panamá eliminado

Diante do resultado negativo que eliminava o Panamá da Copa do Mundo, a postura da equipe dirigida por Ignacio Quintana sofreu uma modificação onde as panamenhas assumiram, em determinado momento, maior posse de bola e iniciativa de buscar mais incisivamente o ataque. Todavia, a mesma questão que as jamaicanas passaram no primeiro tempo ocorreu colm as Canaleras na reta final do confronto.  Adinal, as finalizações estavam bastante desajustadas.

A concretização da vitória das Reggae Girls poderia ter sido ainda mais tranquila em lance onde Wendy Natys tocou com a bola no braço dentro da área e, em campo, a árbitra ucraniana Kataryna Monzul marcou pênalti. Porém, na revisão do Árbitro de Vídeo, ela anulou e o resultado mínimo se manteve até o fim.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Comentários