O Grêmio superou as dificuldades causadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul e venceu o The Strongest, na última quarta-feira (29). A equipe aplicou uma goleada de 4 a 0 sobre o oponente boliviano pela sexta rodada da Libertadores, no Couto Pereira, em Curitiba. Assim, o triunfo foi impactante, pois foi o compromisso que marcou o retorno do Imortal aos gramados após 29 dias.

Com isso, o treinador celebrou a presença em massa da torcida, mesmo em outro estado, e dedicou o resultado positivo ao povo gaúcho.

“A festa foi maravilhosa, só tenho a agradecer o que os torcedores do Grêmio, os torcedores aqui do Paraná, fizeram. Nos sentimos em casa, parecia a Arena, dado tamanho do abraço que o pessoal nos deu. Dentro de campo, sabíamos que teríamos que buscar a vitória para seguirmos vivos. Não vou cansar de elogiar meu time. Sei que não é muito, mas conseguimos minimizar o sofrimento que nosso povo vem tendo”, frisou Renato.

Renato orienta o Grêmio durante duelo com o The Strongest, no Couto Pereira – Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

“Por pouco que seja, com uma boa atuação e uma boa vitória, conseguimos minimizar a dor que estão sentindo. Estamos com saudade do nosso estado, da Arena, mas hoje a torcida deu um show. Sei que não é quase nada perto do que vem sofrendo, mas hoje tínhamos que minimizar a dor deles”, acrescentou o comandante.

Maratona de jogos que o Grêmio terá pela frente

Em seguida, o técnico fez questão de destacar o impacto negativo que a tragédia no Rio Grande do Sul vai provocar no Tricolor Gaúcho. Até porque a equipe entrará em uma sequência de partidas com um intervalo de apenas três dias em junho.

“Precisa de oito a dez jogos para retomar o ritmo normal, é como vir de uma pré-temporada. Mas não é uma pré-temporada de todos os times, é do Grêmio. Estamos muito atrás dos adversários. Eu não gosto muito de me meter neste assunto, mas tentamos de todas as formas minimizar, de uma forma ou de outra, o que vamos passar daqui para frente. A cada três dias temos uma decisão, todos os jogos são decisivos, e os adversários podem jogar sempre com o mesmo time, eu tenho que trocar, senão vou perder jogadores”, detalhou o comandante.

Aliás, outro prejuízo que o Imortal sofrerá no seu retorno é a falta de ritmo de jogo.

“O Grêmio fez uma excelente partida, mas estamos muito atrás ainda. Não vamos tirar por base apenas um jogo, que fizemos muito bem. Mas a falta de ritmo de jogo ficou clara em alguns lances do primeiro tempo, com Diego Costa e o Cristaldo, que perderam a bola por falta de ritmo. Isso é essencial pro jogador. Treinamos todos os dias, o grupo foi muito profissional, apesar das dores deles, mostraram entrega, dedicação, amor à camisa do Grêmio, e jogaram muito. Dei parabéns para eles. Mas estamos muito atrás dos adversários em ritmo de jogo, quem conhece futebol sabe disso”, complementou.

Próximos confrontos do Imortal

O compromisso seguinte do Tricolor Gaúcho será o Bragantino, na volta da equipe ao Campeonato Brasileiro. O duelo será válido pela sétima rodada do torneio e também ocorrerá no Couto Pereira, em Curitiba, no próximo sábado (1). Exatamente para evitar um desgaste adicional com longas viagens.

Já pela Libertadores, com a vitória, o time alcançou os seis pontos e permanece na terceira colocação do Grupo C. Devido à paralisação forçada pela tragédia no Rio Grande do Sul, o Grêmio ainda terá dois jogos pela competição. Primeiro, o confronto direto com o Huachipato, segundo colocado do grupo, no dia 4 de junho, no Chile. Após quatro dias, volta ao Brasil e ao Couto Pereira para enfrentar o Estudiantes, pela sua última partida da fase de grupos.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook .

Comentários