Flamengo e Cuiabá ficam no 1 a 1. Tite não encontrou fórmulas para vencer o jogo. Foto:  Marcelo Cortes

E o Flamengo conseguiu empatar, 1 a 1, com o Cuiabá no Maracanã! Pois é. O que ocorrera até aqui estava distante da realidade, pois é impraticável uma equipe desfalcada de seus melhores jogadores, e comandada por um retranqueiro que não tem nenhuma intimidade com o clube, obter algum sucesso.

O truque é antigo. Fala-se demais – torcida, imprensa, adversários – em qualidade superior para deixar os rubro-negros nas nuvens, e na hora da verdade o que se vê é trágico.

A propósito, o resultado pode ter dois efeitos distintos. Abrir enfim os olhos para o que vem pela frente ou iniciar a derrocada, previsível diante de métodos e atitudes de uma CT no mínimo estranha. Cá entre nós, não seria exagero cravar que o Flamengo não ganhará título algum com Tite, o que pode até – embora pareça difícil – impedir a vitória da situação nas eleições de dezembro. Teremos que suportar essa gente até a eliminação na Libertadores pelo Bolivar.

Surpresa cuiabana

O Flamengo começou praticando um futebol de bailarinos. E tomou um gol com cinco minutos. Derik Lacerda foi levando e bateu à direita de Rossi: 1 a 0. Pois quem escutou este que vos escreve dizendo que o Rubro-Negro teria problemas para ganhar, e que talvez não conseguisse fazê-lo, deve ter parado de rir.

Não há jogo presumivelmente fácil no Brasileiro. A coisa piora quando o time vem de uma goleada no Atlético, em Belo Horizonte, para enfrentar, no Maracanã, um adversário que briga apenas para não cair. Como a maioria conhece pouco, ou quase nada de futebol, e entra em êxtase quando o resultado anterior leva à liderança, a euforia contagia o time, e a desgraça torna-se óbvia.

O time saiu em desvantagem, não criava oportunidades e ainda perdeu Bruno Henrique aos 37, quando as dificuldades já eram flagrantes. O Cuiabá recuou, dando a bola, e mesmo assim não acontecia nada de interessante. Pois se Isidro Pitta desperdiçou chance incrível para fazer 2 a 0, Pedro não aproveitou a única que surgiu para empatar. O Flamengo foi para o intervalo necessitando de dois gols em 45 minutos e acréscimos.

Flamengo de Tite empata

O time carioca retornou para a etapa derradeira com 11. Werton substituiu Allan. O que é Allan? Se Allan é jogador de futebol este que vos escreve é astronauta. O time continuou sem mostrar nada. Mas aos 15, Ayrton Lucas acertou a cabeça de Pedro – que Tite deixou outro dia na reserva – para empatar: 1 a 1. Curiosamente, o Cuiabá saiu para tentar outra surpresa, e conseguia voltar para evitar contra-ataques, enquanto Tite, com cara assustada de Halloween, não tomava providências. O que se via era uma equipe sem idéias e soluções.

Meia hora de bola rolando. O Cuiabá não sai mais. O Flamengo volta a ter 10. Lorran erra todas. E Werton corre para todos os lados sem objetivo algum. E não é que o técnico substitui os dois que mandou entrar? Deus do céu… Que confusão!

E o líder de araque empatou com o Cuiabá. Isso tudo é Tite. Como se não bastasse a maldita Copa América. E a TV elogiando o cidadão…

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook

Comentários